Mateus Frozza
  1. Egressos
  2. Depoimentos
  3. Mateus Frozza

Egresso da primeira turma do Curso de Ciências Econômicas da Universidade Franciscana (UFN), Mateus Sangoi Frozza é Mestre em Economia Industrial e da Tecnologia pela Universidade do Vale dos Sinos, Unisinos, atua como professor universitário na UFN e em 2019 assumiu a Secretaria de Finanças do município de Santa Maria. Trabalhou ainda como pesquisador e coordenador do Índice de Custo de Vida de Santa Maria durante oito anos, consolidando pesquisas de mercado e inflação na cidade. Neste espaço, o professor e economista falou sobre alguns pontos fundamentais para o seu êxito profissional.

A escolha pela profissão: Mateus ingressou na graduação na primeira turma da Universidade Franciscana, em 2002. Incentivado pela mãe, bancária, e pela irmã, que cursava Administração na época, Mateus sempre teve curiosidade em trabalhar com números e com planejamento, por este motivo, durante a graduação ele pensava em realizar concursos e tentar seguir a carreira da mãe, mas isso acabou mudando e sua vida tomou outros rumos, como a docência.

Carreira como professor: Logo após a formatura, o egresso havia sido efetivado no emprego onde já realizava um estágio. Seis meses após a conclusão do curso, ele abdicou do cargo e teve a iniciativa de tentar ingressar em uma Pós-graduação devido à experiência como bolsista em iniciação científica. Mateus começou a carreira na docência cerca de dois anos após terminar o curso de Economia. A experiência como professor e, posteriormente, como Coordenador da pesquisa do Índice de Custo de Vida de Santa Maria, o credenciaram a assumir a Coordenação dos Cursos de Economia da UFN, cargo que exerceu durante quatro anos.

A coordenação como segunda pós-graduação: segundo Mateus, a oportunidade de ser coordenador dos Cursos de Economia na UFN durante quatro anos foi um aprendizado, principalmente por atender pessoas, participar do dia-a-dia do aluno e ter um contato maior com o público, diferentemente da pesquisa.




O economista acredita que a experiência na coordenação é uma pós-graduação onde é possível trabalhar e ter contato com as pessoas. Mateus aponta que na pesquisa é trabalhado com economia e números, e isso deu um suporte para os cargos pelos quais ele ocupou e está ocupando. Já na coordenação de curso, foi possível ter uma experiência nova a cada semestre, pois tudo se renova, tanto no pensamento, quando as pessoas ao redor.

A Universidade abrindo portas: Segundo ele, apesar das oportunidades, tudo em sua vida veio de uma trajetória e de um trabalho sério, principalmente na sua experiência no Índice de Custo de Vida, que lhe proporcionou uma experiência técnica e de gestão nos oito anos de participação. Mateus destaca que onde chegou e onde ele vá chegar, ele deve muito a Universidade Franciscana, pela Graduação, pela docência e também pela coordenação dos cursos, o que proporcionou muita visibilidade e abriu portas, desde a comentários no rádio e a coluna no jornal, até o cargo de Secretário de Finanças do Município.

Mercado de lado nunca: O economista, apesar de ir em busca da pós-graduação, nunca deixou de lado o ramo mercadológico. Para ele, trabalhar nas mais diversas áreas como vestuário, em uma sorveteria, ou até mesmo fora da cidade, em uma empresa de indústria de extração mineral, eram fatores que, aliados à experiência da pós-graduação, favoreciam e davam a ele uma proximidade com os processos técnicos, tanto para os seus estudos, como para transmitir essa vivência em sala de aula. Ele destaca que lidar com a parte prática é uma oportunidade de se aproximar de uma realidade que já existe e isso possibilita transmitir o que se vivencia no mercado, desde a maneira de abrir uma empresa ou como funciona o consumo em relação aos condimentos.

A experiência como Secretário de Finanças de Santa Maria: Mateus vê o cargo de Secretário como uma mudança. Segundo ele é um momento onde se tem a oportunidade de mudar, de realmente sair de um discurso teórico, ir para um mais prático e demonstrar o seu trabalho. Para ele, se conseguir mudar 1% do processo, já seria o fundamental. O objetivo é cumprir os 24 meses da gestão, realizar um trabalho transparente e, acima de tudo, dar suporte às outras Secretarias de Santa Maria, as quais dependem da Secretaria de Finanças, responsável em distribuir os recursos gerados pela cidade.