UFN contribui na produção de versão em áudio do livro Cronicaria Assessoria de Comunicação (ASSECOM)
08/01/2019

A Universidade Franciscana, especialmente o curso de Jornalismo da IES, foi parceria da TV OVO na produção de uma versão em áudio da coletânea de crônicas “Cronicaria”, um dos títulos mais vendidos durante a Feira do Livro de Santa Maria, em 2018.

Com o suporte do laboratório de rádio do curso, as locuções foram feitas pelos próprios cronistas, a jornalista recém formada pela UFN Manuela Fantinel e o jornalista Marcello Canellas. 

O livro em áudio busca tornar a literatura acessível a todos, principalmente para as pessoas com deficiência visual. A ideia de produzir o Cronicaria na versão falada veio de uma provocação que o professor cego Daverlan Dalla Lana fez à Marcelo Canellas, em maio de 2018, durante a sessão de autógrafos do livro impresso, na Feira do Livro de Santa Maria.

A apresentação e as crônicas produzidas em um workshop do projeto, que também integram a publicação impressa, foram narradas pela voz de Neli Mombelli, professora do curso de Jornalismo da UFN, que assina a organização do livro impresso e a coordenação do livro falado.

No impresso, além de crônicas, também há fotocrônicas que, na versão falada receberam audiodescrições feitas por Manuela e Julia Machado, que também é egressa do curso de Jornalismo. Elas contaram com o apoio de Cristian Evandro Sehnem, do Núcleo de Acessibilidade da Universidade Federal de Santa Maria.

“Para esse processo de audiodescrições das imagens, tivemos que fazer muita pesquisa e entrar em contato com quem é deficiente visual, para então conseguirmos compreender e realizar da melhor forma. Nunca tínhamos trabalhado com esse tipo de processo. A consultoria foi essencial, pois há uma ordem de narração das fotos e das ilustrações para compor o enquadramento e possibilitar a compreensão da imagem”, afirma Julia, que, além das fotocrônicas, narrou outros elementos do livro, como a capa e a ficha técnica.

Devido ao seu envolvimento com o livro, Neli Mombeli, que coordenou as gravações, participou do Seminário Educação, Cinema e Acessibilidade do Cinest, onde foram discutidos temas como as tecnologias assistivas. Para ela, a fala de um professor, e também deficiente visual, mudou a sua percepção sobre a importância da audiodescrição.

“Ele me disse que a audiodescrição lhe permite sentir emoções, assim como um vidente as sente quando assiste a um filme. Fiquei pensando em como deve ser vazio ‘ver’ um filme sem se emocionar. Quantos livros deixam de ser lidos por quem tem deficiência visual só porque não são pensados em formato acessível?”, instiga a professora. 

Para Neli, o Cronicaria falado é um exercício de empatia, e também uma busca para que os sentimentos, as reflexões, os afetos, os dramas da vida, as emoções descritas por Marcelo e Manuela nas crônicas, e os fragmentos de cotidiano capturados nas fotografias do livro, a maioria clicadas por Renan Mattos, egresso do Curso de Jornalismo da UFN, levem um pouco de Santa Maria para quem não pode vê-la, mas ouvi-la.

“O projeto do Cronicaria, como um todo, foi um desafio muito bom de realizar. A princípio, parecia ser fácil, já que Manuela e Marcelo se prontificaram para gravar as suas crônicas, mas aí veio a questão da forma: foi preciso que pesquisássemos muito para pensar em como organizá-lo e disponibilizá-lo. Essa busca nos proporcionou imergir um pouco no mundo de quem tem deficiência visual e perceber o quanto falta para que eles, de fato, se sintam mais incluídos socialmente”, finaliza a docente da UFN.

A versão falada do livro Cronicaria pode ser acessada na íntegra, ou ouvida em faixas clicando aqui. Neste mesmo link, o arquivo está disponível para download.

Texto: Thayane Rodrigues / Estagiária Jornalismo, com informações de TV OVO
Imagem: Divulgação / TV OVO



divulgar@unifra.br | 3220 1200 - Ramal 1296
Acesse - Comunicação