Representantes da UFN participam do primeiro Observatório de Bioética Assessoria de Comunicação (ASSECOM)
14/11/2018

A Universidade Franciscana participou do primeiro encontro do Observatório de Bioética (OB-RS3) realizado no Brasil. A promoção é da Igreja do Rio Grande do Sul e o evento foi realizado no dia 7 de novembro, no auditório da Casa de Retiros, em Passo Fundo.

Organizado pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), o encontro busca realizar um mapeamento da vulnerabilidade humana no Estado, a partir de 3 eixos: políticas públicas e início e final da vida.

Nos três eixos que serão trabalhados pelo Observatório, estão temas como: aborto, manipulação genética, esterilização, procriação responsável, experimentação com fetos, eugenia (início da vida); eutanásia, cuidados paliativos, terapia intensiva (final da vida); e direito à saúde, doenças crônicas, distribuição de recursos, conselhos de saúde, comitês de ética, prevenção (políticas públicas).

No Observatório, Universidade Franciscana esta representada por um grupo de professores formado por Marcos Alexandre Alves, Pró-reitor de Pesquisa e Relações Comunitárias; Aletheia Peters Bajotto, do curso de Fisioterapia; Diego Carlos Zanella, da Filosofia; Jaci Rene Costa Garcia, do Direito; Josiane Lieberknecht Wathier Abaid, da Psicologia; Irmã Liliane Alves Pereira e Ricardo Rossato, representando a Arquidiocese de Santa Maria.

O objetivo desta parceria é fomentar os temas da bioética com dados coletados por meio de pesquisas científicas realizadas nas universidades parceiras que possam contribuir nos debates da sociedade, em promoção e defesa da vida.

Segundo o professor Diego Carlos Zanella, as pesquisas realizadas na UFN tem ênfase na saúde da vida, tendo em vista os mestrados em Ciências da Saúde da Vida e o Mestrado Profissional em Saúde Materno Infantil. Mas ele também ressalta que outros docentes, assim como ele, realizam pesquisas que abrangem outros temas.

“Estamos organizando essa base para divulgar no site do Observatório esses dados, essas pesquisas serão publicadas lá. O observatório vai dar visibilidade para as instituições e servir de material de apoio para as próprias comissões de pastorais, e das dioceses que vão trabalhar com a promoção da vida, por exemplo”, explica Diego.

Para o professor, esse canal de diálogo que o Observatório se propõe a construir é muito importante para o amadurecimento e compreensão dessas questões abordadas, e as suas consequências. 

“Acho que o observatório é uma iniciativa muito interessante, por ser um lugar de encontro para a promoção de diálogo em torno da defesa da vida”, afirma.

Também na atividade de lançamento, foram apresentados os quatro polos de onde sairão as pesquisas que vão abastecer o Observatório.

São pesquisas na área da saúde realizadas por meio de parcerias com universidades de todo o Estado, como: PUCRS, de Porto Alegre; Universidade Franciscana, de Santa Maria, Universidade Católica de Pelotas (UCPel); Faculdade Meridional (IMED), Faculdade Especializada na Área da Saúde do Rio Grande do Sul (FASURGS), Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS), Universidade Passo Fundo (UPF), Instituto de Teologia Pastoral (ITEPA), e Hospital da Cidade e Hospital São Vicente de Paulo, ambos de Passo Fundo.

As pesquisas desenvolvidas por essas instituições de ensino serão hospedadas no site da CNBB no ano de 2019.


Texto: Thayane Rodrigues / Estagiária Jornalismo
Fotografias: Divulgação / arquivo pessoal


divulgar@unifra.br | 3220 1200 - Ramal 1296
Acesse - Comunicação