Será que devo fazer uma segunda graduação?
  1. Blog da UFN
  2. Será que devo fazer uma segunda graduação?


Será que devo fazer uma segunda graduação?

Voltemos no tempo, quando você entrou na universidade pela primeira vez. “Como seriam as aulas? Será que me identifico com o perfil do curso? Eu quero mesmo isso? ”. Inúmeras dúvidas surgiram devido à novidade do momento. Hoje, com o acúmulo das experiências da sua primeira graduação, essa insegurança se já não foi sanada, ao menos perdeu intensidade.

Munido do conhecimento sobre a vida acadêmica e de uma melhor capacidade de se organizar, portanto, terá mais facilidade em redirecionar os rumos do seu futuro profissional.

E, por mais que, muitas vezes, o motivo de voltar à faculdade seja a insatisfação pelo primeiro curso, é necessário ampliar os conhecimentos que já foram adquiridos na primeira formação.

Mas, será que você conseguiria aguentar mais alguns anos dentro de uma sala de aula para concluir mais uma graduação?

Te afirmamos que sim, você consegue! E vamos te dizer os motivos pelos quais acreditamos nisso e, também, os benefícios dessa escolha.


Sim, desejo rechear meu currículo com uma segunda graduação!

Devido ao mercado de trabalho estar em constante mudança, a formação profissional exige cada vez mais aperfeiçoamento. E é aí que se encaixa a segunda graduação.

Uma dica para você que deseja ingressar nessa nova empreitada é optar por um curso que seja de área afim com a que você se graduou. Por exemplo, se é formado nas Ciências Sociais, como Administração, pode seguir na área cursando Economia ou Contabilidade. Desta forma, além de ter um currículo mais rico, conseguirá aproveitar disciplinas e, consequentemente, concluirá o curso mais rapidamente.

Outra dica é realizar o segundo curso na mesma instituição que você se formou da primeira vez. Isso por que já estará acostumado com o funcionamento da Faculdade e conseguirá aproveitar disciplinas com mais facilidade.

Além de desejar aperfeiçoar seus conhecimentos em uma área profissional específica, você também pode desejar cursar uma segunda graduação para satisfazer uma vontade pessoal. 


Muitas pessoas optam por cursar Psicologia, por exemplo, para se auto conhecer e, também, aprender a lidar com situações que se deparam no mercado de trabalho. Com essa segunda graduação, você não só estará feliz por realizar um curso que sempre teve vontade, mas, indiretamente, essa formação lhe auxiliará de alguma forma na profissão em que atua.

Se você já trabalha e, por vezes, não têm tempo disponível para frequentar diariamente uma Instituição de Ensino Superior, uma dica é optar pela Educação à Distância, conhecido como EAD. A coordenadora deste setor da Universidade Franciscana, Taize de Andrade Machado Lopes, explica que, com a Educação à Distância você mesmo poderá escolher o melhor momento do dia para fazer as tarefas e as leituras das disciplinas. Além disso, essa forma de ensino acaba por ter um custo inferior à graduação presencial. “Do ponto de vista mercadológico, cada vez mais as empresas estão buscando um profissional que enxergue o todo da empresa. Ou seja, que possua uma visão sistêmica do local de trabalho, a fim de que o olhar desse profissional seja ampliado sobre determinado tema”, acrescenta a especialista em Tecnologias da Informação e Comunicação aplicada à Educação.


O meu emocional está preparado?


Quando se sai do ensino médio, não são todos os que já tem escolhida a profissão a seguir. Desta forma, as opções de graduação podem ter influência de fatores externos, como família, amigos, mercado de trabalho e, internos devido às questões emocionais do ser humano. Por isso, muitos acabam por trocar de curso ou conclui-lo e fazer uma segunda graduação após a primeira formatura.

E, sim, você se encontra preparado para essa segunda graduação! Você já conhece a faculdade, o funcionamento de um curso de graduação e, também, tem o conhecimento mais avançado em relação aos colegas que ingressam pela primeira vez nesta instituição de ensino.
Tenha em mente que é normal ter altos e baixos e chatear-se com críticas de vez em quando. Mas, como você já sabe, as críticas recebidas priorizam a melhora do seu trabalho e são de cunho profissional, não pessoal. E quando os dias difíceis baterem à sua porta, tenha a certeza de que todos que escolhem esse caminho passam por desilusões e momentos de menor produtividade.


E quando você opta pela segunda graduação, tem-se quase que certeza de que vai realiza-la pois já está certo do que quer cursar e trabalhar futuramente. Isso agrega conhecimentos pertinentes para que se possa realizar com mais eficiência a profissão e, também, obter mais sucesso no trabalho. 

Sobre o pensamento psicológico, a Mestre em Psicologia Social e da Personalidade Fernanda Pires Jaeger, destaca que é comum as pessoas buscaram orientação profissional para identificar as habilidades, potencialidades e se autoconhecer para aí escolher uma profissão a seguir.
No momento em que você escolhe uma licenciatura ou bacharelado que é mais compatível com as suas características pessoais, o curso lhe traz satisfação, ampliando a autoestima, se sentindo mais realizado, enfim: com mais maturidade sob o ponto de vista cognitivo.


Na segunda graduação, você está mais preparado, sabendo o que quer e isso faz com que você se dedique e aproveite mais a graduação. “Por você estar preparado para essa nova empreitada, terá melhor capacidade de se relacionar, mais auto estima e, também, ajudará a motivar os colegas que a pouco saíram do ensino médio”, ressalta a professora de Psicologia da Universidade Franciscana.