O valor do professor
  1. Blog da UFN
  2. O valor do professor

O valor do professor.

O verdadeiro valor de um professor talvez não possa ser mensurado, pois em termos filosóficos, esta é uma discussão aberta. Mesmo assim, é seguro afirmar que a profissão de educador é vista como uma das mais importantes na organização da sociedade.

Desde os nossos primeiros anos de vida sempre vai existir um professor transmitindo conhecimento e norteando o nosso caminho. Portanto, a importância de um professor se dá justamente pela responsabilidade que ele carrega em nos guiar pelos caminhos do conhecimento.

Quem escolhe ser professor deve estar intimamente conectado com o desejo de ensinar. Lara Neto que trabalha como educadora infantil no Colégio Centenário, em Santa Maria, conta que foi tocada pela vontade de ser professora quando ainda era criança, e que nas brincadeiras de ‘’faz de conta’’, dar aula sempre foi a sua primeira opção. ‘’ Não lembro de ter outra profissão na minha infância enquanto brincava, acredito que isso não tenho sido uma escolha, foi algo que nasceu comigo’’.

Formada em pedagogia quando tinha apenas 20 anos, Lara conta que a sua principal motivação para lecionar é o amor que sente pelo seu trabalho e a vontade que carrega em ajudar as pessoas. Quando era estudante, sua inspiração para seguir carreira como educadora se fortalecia em sala de aula. ‘’Eu adorava ver a minha professora lá na frente da sala ensinando, ela foi uma das minhas maiores motivações, quando a via, eu tinha certeza que queria ser como ela’’.

Quando fala da sua profissão, Lara explica que a importância do professor está em ser um ‘’transmissor de conhecimento’’. Para ela, não há uma profissão mais importante que outra, porém, o professor é indispensável na formação de qualquer ser humano, pois tem a função de mediar a relação da criança com o mundo.

Sobre os desafios que os educadores enfrentam no dia a dia, a desvalorização da classe é um ponto que Lara destaca como algo negativo. Ela lamenta o fato de muitas pessoas ainda não enxergam a importância do professor ‘’na construção do ser’’.


A nossa caminhada em busca do conhecimento teve início logo cedo, lá no ensino infantil. Após os primeiros passos e descobertas, chegamos na fase da adolescência e com ela, o ensino fundamental e médio surgem como parte importante para o nosso amadurecimento acadêmico. Os professores que atuam neste estágio carregam a missão de transmitir conhecimentos científicos e empíricos, que irão servir como base para toda a nossa vida.

Ail Meireles Ortiz é professora no ensino médio e hoje está aposentada, ela relaciona o papel do professor com compromisso de formar seres humanos competentes para o mundo. Ela afirma que a tarefa do educador consiste em ser um ‘’mediador’’ entre a formação familiar e social.

Ensinar também é aprender, desta forma que Ail enxerga na prática pedagógica um espaço que permite a mobilização do pensamento reflexivo. Para ela, a capacidade do envolvimento de seres humanos ao exercício de pensar sobre a realidade a instiga a desacomodar, surge então, a sua motivação pessoal para lecionar. ‘’ 


No momento em que o ser humano é desacomodado e estimulado a ativar suas estruturas cognitivas para examinar o mundo que se apresenta, será possível vislumbrar atitudes de autocrítica e de mudança, isso me mobiliza a ser uma educadora’’. 

Sua escolha para ser educadora partiu da influência familiar e também por uma predisposição própria em se relacionar facilmente com as pessoas. ‘’ No meu perfil pessoal se manifesta forte habilidade de comunicação, por isso, nas profissões postas como opções de trabalho, sempre me instigaram ao envolvimento com pessoas’’.

Sobre os desafios que o professor enfrenta nos dias atuais, Ail ressalta que a falta de investimentos em políticas públicas voltadas à educação é o principal deles. Ela sugere que o êxito do processo educativo prescinde ao acesso de direitos sociais pelas famílias de educandos no trabalho de escolarização. E também a valorização dos docentes e a manutenção dos espaços educativos escolares em questões de estrutura física.


Do primário ao ensino médio enfrentamos uma longa jornada de aprendizado e desafios. Mas é na graduação que realmente definimos questões importantes do nosso futuro profissional. Para este momento, os professores que atuam no nível superior (graduação, pós e mestrado) carregam a missão de preparar seus alunos para a difícil transição entre a academia e o mercado de trabalho.

A professora Esbeth Spode, que é coordenadora do mestrado em Ensino de Humanidades e linguagem da Universidade Franciscana, relaciona a importância do professor ‘’como um guia essencial’’. A humanidade precisa de exemplos e de uma referência, que segundo Esbeth está na figura humana do professor.

Seu encantamento pela leitura foi o impulso que a fez se tornar professora. Criada na zona rural de Santa Cruz do Sul-RS e longe das tecnologias que conhecemos hoje, o presente favorito de Elsbeth na sua infância sempre foram os livros. “ Não havia biblioteca na escola, mas eu tinha tios e tias que moravam na cidade e, para eles, minha lista de presentes de natal e de aniversário era sempre a mesma, livros de histórias’’, conta.


Foi inspirada na frase "a terra não é um planeta qualquer" do livro O Pequeno Príncipe, que Eslbeth decidiu sair para conhecer o mundo e compartilhar o conhecimento que adquiriu. Sua principal motivação para lecionar surge, segundo ela, do constante aprender a aprender. ‘’ Ensinar é acima de tudo aprender, são inúmeras as cidades invisíveis que conheci a partir da vivência com os meus alunos, grandes e pequenos’’.

Elsbeth compara o valor do professor com a mesma importância que a âncora tem para um navio. ‘’Apesar dos progressos da ciência e do surgimento de tantos inventos, a âncora, um dos instrumentos mais antigos da navegação, segue peça efetiva das embarcações modernas’’, explica. No sentido figurado é como se o professor trouxesse proteção, amparo e abrigo para os educandos, complementa.